[kads group="topo-1"]


Atitude vencedora

Atitude vencedora

     Ao refletirmos sobre a dinâmica da vida, notamos que a experiência da encarnação é o momento propício para colocarmos à prova os aprendizados que fizemos em nossa escalada evolutiva e para que possamos nos auxiliar uns aos outros na superação das dificuldades de cada qual.
     A vida na Terra é necessariamente permeada por um sem número de percalços e desafios a superar, de baixios e cumeadas que nos compelem a permanecer constantemente atentos a cada um desses momentos de modo que possamos tirar deles o melhor resultado e o máximo aprendizado possível.
     Quer gostemos ou não, os desafios e as provações serão uma constante na vida de cada um de nós. O fardo que cada um deverá carregar será sempre hermeticamente ajustado a suas necessidades e a seus méritos. Sendo Deus soberanamente justo e bom, devemos ter sempre em mente que tudo aquilo que se passa é sempre decorrência dessa Lei de Justiça que por vezes custamos a compreender. De qualquer modo, não podemos nunca perder de vista que os percalços são inerentes à própria dinâmica da vida na Terra.
     Ante as vicissitudes da existência, notamos que muitas pessoas alimentam atitudes pessimistas sobre nossa passagem por esse planeta, fazendo questão de nodoar a tudo e a todos, de desagregar grupos e desequilibrar indivíduos, de dissimular suas reais intenções buscando sempre locupletar-se ou haurir vantagens por meios escusos. Talvez por não conseguirem entender a sublime harmonia que há em toda a creação e, via de consequência em tudo aquilo que se passa ao nosso redor, acabam por concluir que a vida é de puro sofrimento e buscam se valer de meios eticamente condenáveis para tentar se esquivar dessas necessárias provações.
     Seu pessimismo não evitará que façam o aprendizado prático que lhes incumbe, ainda poderá dar azo a um sem número de outros percalços tamanho é o distúrbio que realizam. Por manterem essa atitude negativa, certamente terão muito mais dificuldade em lidar com as situações que surgirão em seu caminho, e acabarão cometendo muito mais deslizes, o que somente alimentará o círculo vicioso de suas atitudes negativas.
     Por outro lado, notamos a existência dos ditos otimistas, de homens e mulheres que souberam alcançar uma visão mais ampla e profunda da realidade, que conseguiram transcender aos limitadíssimos olhos da matéria de modo a alcançar uma visão espiritual da existência e de tudo aquilo que se passa em seu entorno.
     Essas pessoas também não conseguem escapar dos altos e baixos da vida, pois, como visto, isso é inerente à própria dinâmica da creação, mas certamente obtêm muito mais sucesso em qualquer empreitada posto que souberam se preparar para cada situação, estando aí inclusas aquelas mais desafiadoras.
     Dada a complexidade das relações humanas, por vezes não nos compete decidir diretamente sobre uma determinada situação. Ainda assim, sempre nos incumbe decidira a atitude que iremos adotar a cada instante de nossas vidas. Se agirmos de forma negativa, pessimista e derrotista, largaremos em desvantagem e sairemos sempre perdendo.
     Por outro lado, se agirmos sempre de forma otimista, haja o que houver, estaremos intensificando nossa contribuição para o equilíbrio e para a harmonia, portanto para a evolução. Além do mais, agindo como vencedores sempre positivando a vida e tirando o melhor de cada situação, estaremos também irradiando essa postura para os demais, e acabaremos por transformar cada vez mais pessoas.
     Essa escolha entre o pessimismo e o otimismo compete exclusivamente a cada um de nós. Que todos saibamos tomar a nossa decisão da forma melhor e mais coerente possível!

Compartilhe:

Sobre o Autor

Rodrigo Fontana França

Rodrigo Fontana FrançaAdvogado e Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) e no Centro Espírita Antonio Grimm (CEAG)

Todos os Posts de: Rodrigo Fontana França