[kads group="topo-1"]


Momento de inflexão

Momento de inflexão

     Como já tivemos a oportunidade de destacar em outras ocasiões, o grande significado de nossa experiência material é o de nos depurarmos, de realizarmos o aprendizado necessário para que possamos escalar mais alguns degraus em nossa escalada evolutiva. Para tanto, a vida na Terra nos proporciona uma série de situações limite que servem exatamente para colocarmos à prova os novos conhecimentos ainda em fase de assimilação.
     Os resultados alcançados se dão na exata medida de nossas escolhas pretéritas, o que denota a existência de uma Lei de Causalidade que rege todo o Cosmos, sendo aludida regra uma expressão da sublime Justiça do Creador.
      Por ainda sermos – todos nós – meros aprendizes que engatinham em termos de moralidade e compreensão das razões de ser da existência, é certo que nem sempre somos capazes de tomar as melhores escolhas que estavam ao nosso alcance. Muitas vezes sequer conseguimos avaliar todas as possibilidades antes da tomada de uma decisão, o que certamente pode vir a tisnar os desdobramentos de nossas escolhas impensadas.
     Geralmente aprendemos pelo amor ou pela dor, e não é difícil percebermos que muitos insistem em seguir quase sempre o segundo caminho que, além de mais árduo, acaba deixando sequelas e cicatrizes difíceis de serem apagadas. Deixam de refletir nos momentos propícios, de avaliar suas decisões aos olhos do espírito e não simplesmente pelas míopes lentes da matéria, e se recusam a aprender com as experiências dos outros, fazendo questão de repetir os mesmos erros de sempre.
     Se nos habituarmos a (ao menos tentar) fazer sempre um segundo olhar sobre as situações que permeiam o nosso dia-a-dia, procurando tirar de cada ocasião a melhor lição possível, temos plena certeza de que passaremos a ter uma existência mais equilibrada e serena. Perceberemos que a vida nos fornece uma série de oportunidades de inflexão, de mudança de rota, de recomeço e que, se soubermos fazer a correta avaliação da situação, alcançaremos essas aparentes adversidades como grandes chances de acertarmos os rumos de nossas vidas.
     Em preleções realizadas na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) através do médium Maury Rodrigues da Cruz, o espírito Leocádio José Correia nos lembra de que na vida muitas vezes tropeçamos para não cair. Essas oportunidades de mudança de rota não podem ser vista como um castigo ou algo negativo, devendo ser encaradas como chances de refletirmos e mudarmos antes que algo de mais grave ocorra.
     Uma dessas chances de guinada que a vida proporciona a todos nós, sem exceção, é aquela oportunizada quando do desencarne de um ente querido. A cada uma dessas ocasiões em que certamente nos entristecemos pela perda daquele referencial material, logo após de nos despedirmos dos despojos mortais de nosso amigo ou parente, devemos fazer uma necessária introspecção, uma profunda reflexão sobre os rumos que estamos dando à nossas vidas. De imediato perceberemos que todos nós também um dia haveremos que deixar a Terra e notaremos, logo em seguida, a grande importância de preservarmos nossos vínculos afetivos enquanto ainda é tempo e de agirmos sempre em prol do bem e dos valores perenes.
     Nunca é tarde para recomeçarmos e fazermos uma correção de rotas, desde que, para tanto, saibamos ter a coragem, a paciência e a determinação necessárias para positivarmos esses momentos de inflexão com uma necessária mudança de atitude. Se tornarmos isso uma constante em nossas vidas, certamente conseguiremos chegar muito mais longe.

Compartilhe:

Sobre o Autor

Rodrigo Fontana França

Rodrigo Fontana FrançaAdvogado e Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) e no Centro Espírita Antonio Grimm (CEAG)

Todos os Posts de: Rodrigo Fontana França