[kads group="topo-1"]


NA CONSCIÊNCIA DO SER, FAÇO O OLHAR DA MINHA INTERIORIDADE

NA CONSCIÊNCIA DO SER, FAÇO O OLHAR DA MINHA INTERIORIDADE

Busco a verdade,
quero compreendê-la.

Os momentos vão se transformando.
Minha vida confunde-se com o espaço.

O tempo flui, novas comunicações e
informações chegam.
Os coloridos do mundo da matéria são
expressivos.

Há na vida, na natureza, no pensamento e
no sentimento, complexidade.
Sei que sou, sem saber efetivamente se
saberei dizer quem eu sou.
Há um peso que carrego que algumas
vezes parece-me insuportável.

São tantas informações,comunicações,
positivas e negativas,que processá-las
custa-me muito, desgasto-me.

Às vezes no olhar, parece-me tristeza, nos
sons que emito, desencanto. No entanto,
no pensamento, sinto a vida.

Sou forte como todos os outros. Existo,
vivo, reajo.

A dor está sempre rondando.Basta um
arranhão, em qualquer nível, para me
produzir intensas indagações.

Quando de retorno, tudo parece novo.
O processo é dinâmico, lento, paradoxal.
No entanto expressa sempre, com
absoluta fidelidade, o meu ser.

Que extraordinário quando conseguir
compreender que o grande significado
é saber aprender, para que possa, com
autenticidade consciencial, ser.

Compartilhe: