[kads group="topo-1"]


Quando é importante julgar?

Quando é importante julgar?

Todos os dias observamos o mundo a nossa volta. Vemos, ouvimos… lemos. Encontramos pessoas, vemos suas atitudes. É natural estabelecermos juízo de valor do que estamos lendo do mundo a nossa volta. Vamos considerar algumas atitudes melhores do que outras, vamos escolher alguns caminhos, e outros não… Vamos achar algumas coisas erradas e outras certas. E este é um processo natural e inerente ao existir. Lemos o mundo a nossa volta, e fazemos avaliação… julgamos.
Entretanto é importante ter cuidado com o julgamento que fazemos. O que estamos julgando? Os fatos ou as pessoas? Julgar, aqui como sinônimo de avaliar, analisar, faz sentido quando temos como objeto os fatos. Já não se aplica quando tratamos das pessoas. Não nos cabe avaliar a outra pessoa, por mais que seja pertinente aprender com suas atitudes.
Não está em questão o valor da outra pessoa, pois ela tem tanto valor quanto eu tenho… Isso porque temos a mesma origem e estamos sujeitos da mesma forma às leis naturais. Em outras palavras, somos iguais perante Deus.
Mas o julgamento de “valor” é muito útil e importante quando diz respeito a nós mesmos. Estou sendo ético? Eu aceitaria o tratamento que ofereço às outras pessoas? O que eu faço tem algum efeito construtivo? Ou destrutivo? Estou aumentando a dor no mundo? Ou aumento o amor no mundo?
Todos os dias os fatos diversos representam valiosas oportunidades de aprender; mas o julgamento interior determinará a velocidade e a eficiência desse aprendizado.
Nelson José Wedderhoff

Compartilhe:

Sobre o Autor

Nelson José Wedderhoff

Nelson José WedderhoffEngenheiro Eletrônico; Professor Acadêmico na Faculdade Doutor Leocádio José Correia (FALEC); Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas; e Conselheiro Editorial da revista SER Espírita.

Todos os Posts de: Nelson José Wedderhoff