[kads group="topo-1"]


A Fé no Creador, O Ser

A Fé no Creador, O Ser

Nos caminhos evolutivos do ser, a consciência de
buscar o conhecer.
Integrado, disciplinado, consciente, quero alcançar
o saber.

No seu intelecto, nas suas indagações, no vai e vem
reencarnatório, descobre o ser no ser.
Seu processo de concepção revela o existente em
variadas formas e corpus.

A multiplicidade, a diversidade, a natureza, o mundo
cria expectativas.
A fragilidade do nascimento, da expressão material
de um ser, sensibiliza cada homem a viver a
suavidade do seu interior.
Tudo deve ser suavemente posto para quem chega.

No decurso do tempo, os nascidos, os
reencarnados, têm que aprender os protocolos do
conhecimento.

Cada dia que passa aumenta a complexidade.
As buscas do ser para o ser ficam complexas,
imensas.
As faixas etárias, na graduação do próprio
tempo, vão permitindo que cada um perceba e se
conscientize de suas limitações.

A maturidade representa responsabilidade, uma
maior integração com a vida.
A velhice, trôpega, cansada, demonstra o retrato da
transformação.
A morte, o desencarne, opera a liberação do ser,
para uma integração maior com o próprio ser.

Na composição crítica da vida, cada um como
ser do mundo aprende, às vezes pela dor, pelo
sofrimento, outras pelo amor, pelo exercício da
fé, que é possível alcançar alegria, equilíbrio, pelo
conhecimento do próprio ser.

No exercício cotidiano, quando alcançamos ser
a fé no Creador, nos iluminamos. Há em nós
a plenitude do nosso ser sendo o próprio ser
encarnado ou desencarnado.

Ser feliz é ser a fé, é conhecer o ser na sua
essencialidade de ser, infinitamente ser.

 

Texto extraído do livro
A essencialidade da minha consciência, em 20.NOVEMBRO.2015

Compartilhe: