[kads group="topo-1"]


A força de um exemplo

A força de um exemplo

No presente dia, há um imenso contingente de pessoas ao redor de todo o mundo celebrando a páscoa. Em meio a tantos símbolos hauridos de diferentes culturas e momentos históricos, a maioria das pessoas acaba deixando de lado a verdadeira e principal reflexão que deveriam se propor a fazer em um momento como o presente, o que se agrava ainda mais com o forte apelo comercial associado à data.

Antes de pensarmos em ovos, coelhos e chocolates (uma mistura à primeira vista inusitada), não podemos perder de vista a necessidade de aproveitarmos esse momento para pensar sobre Jesus e o grande exemplo que nos foi deixado.

Com o devido respeito que merecem as tradições e crenças de cada qual, não podemos olvidar que para o Espiritismo a significação dada a essa data por outras religiões não tem o mesmo sentido, o que não nos impede de aproveitar a situação para refletir um pouco mais sobre a figura de Jesus.

Trata-se de um indivíduo dotado de uma visão espiritual profunda, que veio à Terra com o firme e sublime propósito de abrir os olhos da humanidade para uma nova visão de mundo, baseada no amor, na fraternidade e na caridade. Mais do que ninguém, soube viver e sofrer suas convicções, o que acabou causando a ira dos poderosos da época que o fizeram pagar com sua própria vida, mas não conseguiram impedir a esplendida disseminação de suas ideias, que permanecem vivas e absolutamente atuais até hoje.

Passados mais de dois milênios de sua vinda à Terra, a mensagem por si semeada ainda está – lamentavelmente – longe de ser compreendida e aplicada em sua plenitude. Ao longo dos séculos, essas lições de humildade e de extrema devoção à causa da humanidade acabaram em alguns momentos sendo engessadas, deturpadas e manipuladas por alguns que estavam mais interessados em dominar as massas e manter suas estruturas de poder. Contudo, tal é a força das lições por si trazidas, que sua mensagem permanece ainda bastante viva em nossos corações, apenas à espera de que consigamos melhor compreendê-la e aplicá-la em nosso dia-a-dia.

Quando falamos em uma vivência Cristã, não podemos esquecer de que o Cristianismo não significa igrejas, templos, dogmas, símbolos ou ritos. Pelo contrário! Tudo isso são formas e expressões exteriores, que em grande parte das vezes passam ao largo da essência que pretendem demonstrar.

Ao longo do curto interregno dedicado de forma mais intensa por Jesus a pregar sua mensagem (dizem os estudiosos do assunto que isso se deu especialmente ao longo dos últimos 03 anos de sua vida), são inúmeros os exemplos de que sua grande força está em sua mensagem e em seu exemplo de vida. Aliás, são vários os relatos contidos nos próprios Evangelhos em que Jesus assevera de forma clara e firme que os aparentes prodígios por ele realizados estavam ao alcance de todos (se tivessem a fé apenas do tamanho de um grão de mostarda…).

Logo, entendemos que aqueles que querem de fato homenagear Jesus não devem fazê-lo somente em algumas datas programadas ou por meio de simples repetição de liturgias ou ritos. Os que pretendem realizar uma verdadeira (e mais do que merecida!) homenagem a Jesus, devem buscar seguir seu exemplo de vida, compreender e aplicar a cada dia um pouco das lições de elevada ordem moral por ele trazidas. Devem buscar uma melhor e mais profunda percepção da realidade espiritual que para Jesus era tão clara e servia de base para tudo o que dizia e sentia.

Feliz páscoa a todos! Que essa data possa significar mais do que qualquer outra coisa o início de uma constante e firme homenagem a Jesus a ser realizada da forma mais intensa possível a cada instante de nossas vidas.

Rodrigo Fontana França

Compartilhe:

Sobre o Autor

Rodrigo Fontana França

Rodrigo Fontana FrançaAdvogado e Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) e no Centro Espírita Antonio Grimm (CEAG)

Todos os Posts de: Rodrigo Fontana França