[kads group="topo-1"]


A INDAGAÇÃO NO COTIDIANO DA DIVERSIDADE

A INDAGAÇÃO NO COTIDIANO DA DIVERSIDADE

O interesse humano é aprisionado pela coleção de
coisas, objetos, riquezas materiais.

O tempo, acompanhando o homem, flui.
A inteligência se expande.
As alegrias florescem e decaem.
As tristezas, as decepções, se avolumam.

Os espaços ocupados ficam enfadonhos, tristes.
Há necessidade de mudanças, transformações.
Portanto, forte procura para fazer equilíbrio.
Cores, formas, linguagens diferenciadas, produzindo
sensações que, em tese, viabilizam o amanhã.
A memória fala, as representações compõe o presente.

Crianças, espíritos reencarnando.
Mortes, desencarnes.
A consciência da temporariedade da Terra provoca
expectativas, às vezes, tristezas.

Os desenlaces acontecem com todos.
O ficar na Terra é um permanente processo
de readaptação.

O ontem muda o hoje, que mudará o amanhã.
Tudo em movimento. Às vezes tento fazer parar,
como se fosse possível.

Descubro que viver é ser no movimento.
É saber expressar a substância do que eu sou.
É me buscar continuamente num processo crítico
de fazer crescer a minha identidade.

Que interessante, tudo, absolutamente tudo,
se transforma.
Percebo que sou outra pessoa, sem deixar de ser
o que sempre fui.

Consigo, na consciência evolutiva, ser feliz,
estender as mãos e pelo contato compartilhar a
alegria com todos.

 

Texto extraído do livro
A essencialidade da minha consciência, em 02 de Outubro de 2015

 

Compartilhe: