[kads group="topo-1"]


Como o Espiritismo explica a Terapia Holística?

Como o Espiritismo explica a Terapia Holística?

Sou católico e estou aprendendo bastante com o Espiritismo. Gostaria de saber um pouco mais a respeito da Terapia Holística (chakras, do-in, etc). Como o Espiritismo explica  este lado da ciência?

A expressão “holística” vem do grego holos, que significa “inteiro” ou “integral”. O integral poderia ser interpretado como integração entre corpo, espírito e conhecimento de si, do outro, do mundo, de Deus e das coisas. Quanto mais eu conheço e me conheço, melhor eu me administro e melhor administro meu corpo. O Espiritismo admite e incorpora as descobertas científicas da humanidade. No tocante à unidade corpo-espírito, reconhece a existência de plexos, que é denominado de chakras na linguagem oriental. Um exemplo disso é a recomendação dos espíritos para que as pessoas exponham os plexos dos pulsos (com a palma da mão virada para cima) e dos tornozelos a cinco minutos de sol diariamente. Isto tem importante relação com a metabolização da vitamina D, que influencia toda uma cadeia de vitaminas e hormônios no corpo humano.
O do-in é uma terapia de pressão de pontos-chave do corpo, semelhante à acupuntura. A diferença é que na acupuntura há a penetração de agulhas e no do-in o terapeuta pode usar palitos ou a ponta dos dedos para pressionar pontos do corpo sem que haja sangramento. Entendemos que algumas destas técnicas são milenares e reconhecidas como eficientes, desde que aplicadas por pessoas com reconhecido conhecimento médico. Evitamos o uso da expressão “holismo” ou “holístico” porque achamos muito difícil alcançar o todo, mas defendemos a busca da visão transdisciplinar como meio de estudar e administrar a complexidade que envolve o existente.

Compartilhe: