[kads group="topo-1"]


Como resolver o conflito entre a fé e a razão?

Como resolver o conflito entre a fé e a razão?

Aparentemente este conflito surgiu quando religiosos pediram aos homens para não pensarem, para suspenderem a razão. Segundo Martinho Lutero, citado pelo escritor Will Durant na coleção História da Civilização (Editora Record – livro V – A Reforma), “a razão deve se manter dentro dos limites da fé religiosa”. Aceitar esta opinião impede o religioso de admitir qualquer descoberta que conflite com o que sua religião ensina. Seria preciso admitir que, mesmo em torno de 1525, toda verdade já havia sido revelada pelos estudiosos de filosofia, ciência e religião, e que não haveria mais nada para ser descoberto, nem no campo material e nem no campo espiritual. Este posicionamento é conhecido como fé cega. A frase “a fé começa onde o conhecimento termina” parece reforçar esta ideia, pois muitos creem naquilo que não conhecem ou não avaliam. Contudo, em uma orientação do espírito Antonio Grimm, psicofonada pelo médium Maury Rodrigues da Cruz, houve a proposta de fazermos um novo olhar sobre a fé. Ele afirmou que “a fé não começa onde o conhecimento termina; ela é o conhecimento!”. Este seria um exemplo de fé crítica raciocinada. Ou seja, a fé que busca evidências para construir sua sustentação lógica, pois, como disse Allan Kardec na abertura do livro O Evangelho segundo o Espiritismo, “a fé só é inabalável se puder encarar a razão, em todas as épocas da humanidade.

Compartilhe: