[kads group="topo-1"]


Em uma gravidez resultante de uma relação sem amor, é possível  a um espírito reencarnar sem passar pelos orientadores espirituais?

Em uma gravidez resultante de uma relação sem amor, é possível a um espírito reencarnar sem passar pelos orientadores espirituais?

O Espiritismo vê Deus como causa de todas as coisas, sendo Ele Justo e Bom.Se Ele é Justo e Bom, todas as coisas que acontecem são justas. Ou seja, todas as coisas que acontecem são “coerentes” com as “inúmeras” causas que as determinam. Aplicando este conceito no caso do reencarne, entendemos que o “espírito que reencarna” em uma determinada situação é o “espírito mais adequado” para aquele momento, aquele lugar, aquele grupo. Da mesma forma, o lugar, o grupo, o momento, representam as condições mais adequadas para o espírito que reencarna. Com isso temos equilíbrio, o que quer dizer, não há beneficio ou prejuízo para o grupo que recebe este espírito. Há, portanto, justiça; ou há equilíbrio, harmonia. Por isso podemos afirmar que uma relação com amor não garante o reencarne de um espírito “mais evoluído”, enquanto que uma relação sem amor não determina o reencarne de um espírito “menos evoluído”. Em um processo reencarnatório, tanto pelo ponto de vista dos pais quanto pelo ponto de vista dos filhos, precisamos fazer as seguintes perguntas: O que posso aprender com os outros espíritos da minha família biológica e com o grupo social onde reencarnei? O que posso fazer de bom para os espíritos da minha família biológica e para o grupo social onde reencarnei? Com essas reflexões mudamos o foco sobre o que determinou o reencarne em termos de passado e passamos a ver as oportunidades de construção e aprendizado que temos em conjunto daqui pra frente.

Compartilhe: