[kads group="topo-1"]


Espiritismo é ciência, filosofia e religião

Espiritismo é ciência, filosofia e religião

Religião é o segmento da cultura humana que busca respostas sobre a origem e destino do ser; sobre o sentido da vida, do nascimento, da dor e da morte.
A Ciência também busca respostas sobre nossa origem, por exemplo, mas como as ferramentas científicas ainda são mais voltadas para o que é possível medir, pesar e quantificar, a ciência ainda trabalha melhor com o que é materialmente demonstrável. Apesar disso, já existem experimentos buscando provar a existência do espírito por meio da utilização de protocolos científicos.
A Filosofia, por seu lado, tem como proposta a busca da sabedoria e não a sua posse, por isso é natural que o seu papel seja sempre o de questionar. Filosofia se faz filosofando, portanto questionando as conclusões para testar se resistem ao desdobramento lógico.
Admitir que religião é produto humano, originado nas interpretações que os grupos sociais constroem ao longo da história, pode ajudar a explicar a diversidade de interpretações religiosas sobre as questões da vida, bem como a quantidade de mitos que sobrevivem em várias denominações religiosas espalhadas pelo planeta.
O Espiritismo, apesar de ser historicamente mais jovem, não está livre de interpretações místicas e míticas, pois muitas pessoas que o estudam trazem de suas religiões anteriores algumas interpretações e crenças que acabam sendo inseridas no ideário espirita.
Esta é uma das razões por que as religiões precisam da filosofia e da ciência, pois a maioria delas defende o chamado livre-arbítrio, e segundo este principio, estarão sempre sujeitas ao estudo pessoal, à livre interpretação e à prática que daí resultará. É pelo questionamento contínuo e pela aplicação de ferramentas científicas que as religiões poderão alcançar e manter sua coerência.
No Espiritismo, a fonte básica é a Doutrina Espírita proposta por Allan Kardec, mas mesmo ela pode ter alguns dos seus postulados submetidos à comparação com a Doutrina dos Espíritos. A razão é que o produto mediúnico típico é composto a partir das ideias dos espíritos desencarnados, as quais são afetadas pela mentalidade vigente na época em os médiuns a produziram.
Esta abertura, longe de trazer insegurança, deve passar a ideia de que o Espiritismo se sustenta na fé crítica raciocinada, que se avalia e se revisa, e não na fé cega.
Paulo Wedderhoff

Compartilhe:

Sobre o Autor

Paulo Henrique Wedderhoff

Paulo Henrique WedderhoffAdministrador; Professor Universitário na Faculdade Doutor Leocádio José Correia (FALEC); e Conselheiro Editorial da revista SER Espírita.

Todos os Posts de: Paulo Henrique Wedderhoff