[kads group="topo-1"]


Fomentadores do bem

Fomentadores do bem

Aquele que consegue alcançar uma percepção espiritual da sua existência, atua a todo momento como um farol de serenidade e coesão social, sendo capaz de espraiar harmonia e equilíbrio para o meio em que está inserido, iluminando aquilo que antes parecia oculto ou nebuloso.

Ao fazermos um olhar mais alongado sobra e vida e atingirmos a firme convicção de que esta não se extingue com o desencarne, imediatamente se abre um imenso leque de novas possibilidades e muitas das angústias e decepções típicas da vida material se tornam imediatamente pueris e sem sentido.

Atingir essa percepção espiritual da vida é tarefa que se constrói dia a dia e deve a todo momento ser exercitada. Não há mágica ou milagre, mas sim um intenso processo de reflexão, introspecção e transformação que se realiza necessariamente de dentro para fora, jamais podendo ser imposto por outrem.

Quando nos convencemos de que somos seres em uma incessante caminhada de aprendizado, depuração e evolução ao longo da eternidade, imediatamente concluímos que tudo aquilo que já realizamos e ainda realizaremos na presente encarnação equivaleria a apenas mais um passo. Mais do que isso, somos compelidos a perceber nossa responsabilidade por cada um desses passos (eis que eles dependem dos passos anteriores), bem como pelo rumo que estamos dando a essa caminhada.

A Doutrina dos Espíritos nos fornece os instrumentos e instruções necessários para podermos melhor compreender e assimilar a realidade espiritual, bem como uma visão cósmica de nossa existência. Através da extraordinária codificação realizada por Allan Kardec já há cento e cinquenta e nove anos, bem como dos ensinamentos trazidos por espíritos de elevada estatura moral por intermédio de médiuns pontuais, somos constantemente instados a refletir sobre nossas atitudes e a forma como reagimos aos desafios que nos são colocados. Por meio da prática do autoconhecimento, gradativamente passamos a compreender melhor o papel que temos a desempenhar, de modo a podermos exercer nosso sentido missionário da melhor maneira possível.

Os adeptos do Espiritismo têm – cada um deles – uma grande responsabilidade no sentido de se aprofundarem tanto quando possível nos desdobramentos da Doutrina, para que possam, cada um a seu modo e de acordo com o seu alcance, se tornar não só pessoas melhores, mas também agentes fomentadores do bem, da fraternidade e da caridade.

O significado de nossa vida na Terra é de aprendizado, e os desafios pelos quais passamos se dão na exata medida de nossas necessidades e possibilidades individuais. Contudo, talvez pela falta desse olhar mais alongado sobre a vida, ainda percebemos em determinadas circunstâncias e prevalência das más tendências. Somente conseguiremos superá-las e extirpá-las em definitivo a partir do momento em que essa percepção espiritual da realidade atinja a todos.

Cabe, pois, a cada um de nós, através do exemplo e não da imposição, através de nossas atitudes e não de simples retórica, darmos a nossa contribuição para construirmos uma humanidade mais harmônica e fraterna. Para alguns isso pode ainda soar como uma utopia ou um sonho distante, mas temos a certeza de que esse ‘sonho’ se tornará tanto menos distante quanto mais pessoas se conscientizarem dessa realidade maior e do poder transformador que guardam dentro de si.

Rodrigo Fontana França

Compartilhe:

Sobre o Autor

Rodrigo Fontana França

Rodrigo Fontana FrançaAdvogado e Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) e no Centro Espírita Antonio Grimm (CEAG)

Todos os Posts de: Rodrigo Fontana França