[kads group="topo-1"]


Na busca do meu ser, a indeterminação e a incerteza

Na busca do meu ser, a indeterminação e a incerteza

Perscrutando a minha inteligência,
percebi a mobilidade, o movimento, de todo o conhecimento,
a incerteza do dia seguinte,
a indeterminação no que diz respeito àquilo que será
diante do que está sendo.

No aprendizado é muito importante a dimensão do conhecer,
desde que não se institua protocolo
negando a possibilidade das variabilidades,
portanto, das incertezas e das indeterminações.

Nos caminhos, os seixos que rolam,
cores diferenciadas, as flores nos barrancos, o colorido das
folhas.
Que extraordinário,
a incerteza e a indeterminação provocando a força do
acidente das cores.

Minha visão interior se soma com a exterior.
Às vezes vejo para não enxergar.
As formas são variadas.
Procuro sempre o equilíbrio.
Descubro que vivo a fantástica e dinâmica harmonia
da natureza.

Sou, no processo evolutivo,
um ser que na inteligência aprende todos os dias,
pelo próprio livre arbítrio, a ser.

Na estrutura e no funcionamento de toda a vida, sou.
Sendo a composição dos diferentes, consigo ser a
unidade.
Na unidade sou o conjunto, no conjunto a totalidade.

No aprendizado da indeterminação e da incerteza
faço o aprendizado do meu próprio ser,
solidificando, plastificando, dando equilíbrio e
fazendo o funcionamento
das complexas funções do meu próprio livre arbítrio.

Sendo a incerteza, a indeterminação, sou o campo
unificado,
a consciência, as ações associativas, a linguagem.
Sou espírito livre que luta para ser,
permanentemente ser.

 

Texto extraído do livro
Na busca do meu ser, a indeterminação e a incerteza em 26 de agosto de 2016

Compartilhe: