[kads group="topo-1"]


O perdão não estimula as pessoas a permanecerem no erro?

O perdão não estimula as pessoas a permanecerem no erro?

Será que não é o contrário? Houve um tempo em que a punição das ofensas era absurdamente desproporcional. Havia punições como cortar a mão de quem, no desespero da fome, furtava um pão. Em torno de 1800 antes de Cristo, um rei babilônico chamado Hamurabi promulgou um código de leis, em que preponderava o chamado princípio de talião, o conhecido ‘olho por olho, dente por dente’. Era uma tentativa ainda rudimentar de justiça, onde a punição deveria ser exatamente igual ao crime. Com o passar do tempo, verificou-se que essa regra somente incitava mais violência e não resolvia problema algum. O exemplo de Jesus é de um perdão incondicional, que assim foi aplicado por Gandhi há algumas décadas: ‘Se seguirmos a lei do olho por olho acabaremos todos cegos’.

Compartilhe: