[kads group="topo-1"]


O que quer dizer: “tudo morre para renascer e nada sofre o aniquilamento”.

O que quer dizer: “tudo morre para renascer e nada sofre o aniquilamento”.

Na obra “O Evangelho Segundo o Espiritismo” há um texto que informa: “A própria destruição, que aos homens parece o termo final de todas as coisas, é apenas um meio de se chegar, pela transformação, a um estado mais perfeito, visto que tudo morre para renascer e nada sofre o aniquilamento”. Diante disso, peço o seguinte esclarecimento: como é que um leigo, que entra pela primeira vez na casa espírita, pode entender esta passagem se o mesmo vai até a casa espírita para escutar uma palavra de conforto?

Toda pessoa descobre, cedo ou tarde, que todos desencarnam e isto pode ser angustiante quando lhe falta conhecimento sobre sua própria identidade como espírito imortal. No estudo espírita, cada um pode descobrir que o que morre é o corpo, mas o ser do ser humano, portanto, o espírito, segue sua trajetória de aprendizado pela vivência entre irmãos de caminhada e entes queridos. A descoberta da reencarnação como meio de aperfeiçoamento espiritual gera consolo e segurança. Segundo os espíritos orientadores, o ideal é trabalhar o autoconhecimento, pois quem se conhece compreende a renovação que a morte do corpo permite. A ideia de continuidade levou várias religiões tradicionais a deduzir a lógica da vida após a vida. A grande dúvida das pessoas é se há reencarnação ou não. Quando entendemos que a reencarnação permite que cada um esqueça o seu passado, recicle seus valores morais, suas crenças e convicções, compreendemos a importância de “morrer” lá para vir para cá e “morrer” aqui para voltar para lá. Em todos os momentos estamos sempre aprendendo. Encarnar e desencarnar é um estágio temporário e necessário no processo evolucionário do espírito.

Compartilhe: