[kads group="topo-1"]


O Sentido Complexo da Vida

O Sentido Complexo da Vida

O Nascimento, a beleza do recém nascido.
O choro, o movimento das mãos e dos pés.
A linguagem decodificada pela mãe.

Um olhar desfocado num primeiro momento.
Um olhar focado, significativo, na frequência do crescimento.
Um choro variado, fazendo a linguagem da proximidade com a mãe.

O espírito encarnado, as lembranças se apagando.
Os sentidos fazendo novos registros.
Tudo parece diferente, essencialmente diferente.
Adaptação ao nome, a dificuldade para materializar as linguagens,
as palavras, os sons.

O sono, o alimento,o carinho.
Sempre a tutela dos adultos, o cuidado.
Os banhos, os toques o corpo e o espírito.

A extraordinária sensibilidade do corpo e da alma.
Os pensamentos, as figurações, as cores.

O reconhecimento das pessoas.
Os cheiros, os alimentos, a água, o oxigênio.
A casa, os familiares, a alegria da unidade.

O ser inteligente e a natureza.
O andar, o se firmar nos próprios pés.
A experiência do engatinhar, a construção de algumas frases.

O entendimento dos adultos.
O despertar para a alegria pelo afeto.
O contínuo processo de aprender, aprender…

As expressões faciais dos adultos.
As visitas em lugares diferenciados.
As datas, os significados, a contagem do tempo.

A escolaridade, o crescimento, as alterações de graus de
conhecimento.
O sexo, as desigualdades.
As linguagens sociais, a certeza da individualidade, a
suficiência.

As opções, as escolhas, o buscar, o dormir, o acordar.
As responsabilidades, a consciência de ser adulto,
de um dia morrer, desencarnar.

O medo e a coragem.
O diferencial de cada um.
A sua expressão diante da vida.

Que extraordinário é o campo evolutivo de cada ser
nos diversos planos evolutivos do espírito.

 

Texto extraído do livro
Na busca do meu ser, a indeterminação e a incerteza em 11 de março de 2016

Compartilhe: