[kads group="topo-1"]


O SENTIDO DA GRATIDÃO

O SENTIDO DA GRATIDÃO

Eu quero sensibilizá-los a uma consciência crítica de si mesmos.

Esse é o momento em que os espiritistas precisam perguntar muito sobre gratidão. É muito importante o sentido da gratidão.

Os irmãos todos precisam rapidamente voltar-se para dentro de si mesmos, e perguntar muito:

Será que eu tenho gratidão com quem me creou? Com o Ser que me creou, há uma gratidão nesse sentido ao meu Creador?

Há uma gratidão por ter me permitido chegar aqui nesse momento e ter consciência de quem eu sou?

Eu sou grato pelo medicamento que eu tomo?

Eu sou grato nesse momento pelos trabalhadores rurais que plantam arroz, feijão?

Eu sou grato por aqueles homens que num sentido de empreendedorismo criaram coisas novas?

Eu sou grato pelos professores que me educaram, que me alfabetizaram?

Eu sou grato pelo olhar das pessoas idosas que me deram sustentabilidade para eu pudesse chegar ate aqui?

Eu sou grato no sentido da manutenção da minha vida na Terra?

Eu sou grato pela descoberta de que eu não morro, de que há uma eternidade que me espera e que norteia os meus atos?

Há gratidão em mim, quando eu olho para a natureza?

Como é linda a natureza. Ela me estimula permanentemente a um estar presente na minha própria consciência.

Será que eu vejo os rios, os lagos, e eu tenho gratidão por isso? E pelo ar que respiro?

Será que eu tenho gratidão, porque eu caminho e há irmãos meus que não caminham e são gratos.

Será que eu tenho gratidão pela minha inteligência, pela minha capacidade cognitiva, pelo meu estágio moral, espiritual?

Enfim, eu tenho realmente consciência de gratidão para com os meus amigos, para com os meus pais biológicos, com os meus irmãos?

Eu tenho gratidão com aquelas creaturas que se dizem meus amigos, que convivem comigo, que se dedicam um pouco a um olhar para com a minha pessoa, que me dão nesse momento aconchego, que dizem às vezes, não tem importância, seja forte, será que eu sou grato realmente?

Será que há gratidão em mim ou eu sou um sujeito que me acho desprendido dos outros, quando eu preciso efetivamente do conhecimento que é feito por todos, pela humanidade inteira, e quando também eu preciso efetivamente de um afeto?

Sem afeto, eu sou uma pessoa triste, angustiada e deprimida.

Eu preciso demais do afeto.

A afetividade é uma coisa extremamente importante.

Será que eu tenho consciência disso?

Eu me movimento?

Na manutenção do corpo físico, há realmente uma linha de movimentação que faço tendo em vista a expectativa do tempo de vida na Terra?

Será que eu sei me proteger?

Deus me deu armas para eu me proteger.

Não são armas mortíferas, são armas no sentido de fazer uma respiração adequada, armas para me proteger contra as minhas ganâncias.

Armas para me proteger contra esse ímpeto sexual de que devo dominar a todos: “de forma equivocada penso que devo até fazer listas das pessoas a quem tive contatos sexuais”.

Até isso o nível cultural da humanidade registrou. Registrou, portanto, a antítese da gratidão, tudo aquilo que diz respeito a um processo extremamente perturbador do caráter, da dignidade, da força da fé no Creador.

É fundamental que os irmãos vivam um cotidiano de gratidão.

Que tenham plenitude consciencial que permita aos irmãos fazerem o melhor.

E o melhor meus amigos, o melhor é descobrir aquilo que o Leocádio diz: “o que há de mais positivo e melhor em cada pessoa“, e não salientar as coisas negativas, perversas e que nesse momento avolumam-se num processo do mal e dos bolsões da Terra.

É preciso gratidão com Jesus Cristo, que foi extraordinário e deixou um Evangelho de amor, de tranquilidade, um Evangelho de renúncia, mas que quando estamos encarnados temos dificuldades de compreender.

Eu tenho que ter gratidão, porque alguns dos irmãos que estão me ouvindo e que convivem conosco reencarnaram com missões específicas. Todos reencarnam com missões.

Era preciso que todos fossem gratos para com espíritos superiores que encaminharam o reencarne dos irmãos para um efeito de produção, um efeito de construção, um efeito de educação, um efeito que tenha a grande significação de ajustamentos e de interação com a humanidade.

É fundamental que vocês todos estejam sempre dispostos ao perdão.

Quem tem gratidão tem perdão.

Quem é grato por todo o acontecimento da vida, tem um olhar de alegria.

Quem tem a gratidão para com o próximo, é porque tem a gratidão com o Creador.

Quem realmente tem a possibilidade de desculpar os erros alheios, é porque tem um espírito de gratidão. Ele sabe que é falível tanto quanto os outros.

Ele nunca está de dedo em riste sempre a apontar os defeitos dos outros.

Ele tem sempre o espírito de tolerância, porque ele tem uma gratidão imensa pelo pertencimento, com consciência, à humanidade e ao Creador.

Por isso recomendo a todos os irmãos que sejam pacientes, tolerantes e absolutamente gratos.

É muito importante que os irmãos cheguem próximos de algumas pessoas e digam: “eu sou muito grato por ter-lhe encontrado, é muito importante a minha vida no concurso da sua“.

Não sejam vaidosos, nem orgulhosos. Sejam sinceros e positivem a vida da melhor forma possível.

Avaliem quantos benefícios receberam até esse presente momento que estou a conversar com os irmãos.

Imaginem irmãos nossos que nesse momento estão sofrendo muito em leitos de hospitais, em casas, em manicômios. Imaginem os presídios e todos os indivíduos que nesse momento estão cerceados na sua extraordinária capacidade de ir, vir, permanecer, ficar, porque lhes falta evidentemente o exercício de consciência de liberdade.

É preciso ser grato a tudo isso. É preciso ter um permanente espírito aberto onde a prece vem como gratidão, o amor é gratidão, a afeição é gratidão. A luz do conhecimento aumenta esse espírito de gratidão.

Que os irmãos sejam creaturas muito firmes. Que haja um propósito de cumprir a vossa missão. Que em hipótese nenhuma os irmãos deixem vossa missão degradar.

Que na sua intenção profissional, social e religiosa, os irmãos sejam ímpares. Que as pessoas todas olhem os irmãos, e que os irmãos sejam exemplos de gratidão: gratidão para com a evolução; gratidão para construção moral, cultural e espiritual, que cada um deve realmente construir e fazer.

Estou muito feliz.

Sejam muito felizes.

É muito importante conversar com os irmãos.

Nós estamos distantes da Terra, olhá-los através dos olhos da matéria é uma visão diferenciada.

Já vivemos o que os irmãos estão vivendo.

Os irmãos irão, no futuro, viver o que nós estamos vivendo.

Como já passamos por todas as experiências, podemos dizer que os irmãos devem convalidar a vida com amor.

Quando convalidamos a vida com amor, não temos arrependimentos. Mas quando nesse momento tentamos convalidá-la com ódio, com vingança, cometemos injustiças, e ao longo da nossa vida padecemos efetivamente por não termos tido a gratidão da compreensão de que somos todos irmãos.

Que Deus permita que possamos, de mãos dadas, construir um mundo melhor, um mundo onde haja mais gratidão, portanto mais compreensão.

 

Felicidades

Marina Fidélis

18 Dezembro 2017

Compartilhe: