[kads group="topo-1"]


Para que reencarnei?

Para que reencarnei?

Para que reencarnamos? Para resgatar dívidas? Para pagar por erros passados? Muitas vezes acabamos nos prendendo ao desconforto que alguns desafios nos causam e, em função disso, nos apegamos a uma explicação muito limitada sobre os objetivos do nosso encarne atual. Até por isso vale a pena adotarmos a pergunta “para que reencarnamos, de tal forma a promovermos uma visão de perspectiva futura, ou seja, o que viemos fazer? O que viemos realizar? O que viemos construir?

Como a natureza é justa, não beneficia ou prejudica ninguém, podemos concluir que o processo reencarnatório também é justo. Reencarnamos no local mais adequado. Mas, cabe perguntar: como assim “adequado”? Podemos entender que reencarnamos sempre na melhor condição para ensinarmos o que já sabemos, e aprendermos o que ainda não sabemos.

Se olharmos para a nossa vida com vontade de fazer e de aprender, certamente vamos encontrar inúmeras coisas a aprender com as pessoas à nossa volta, tanto da nossa família quando do grupo social que temos alcance. Mas também vamos encontrar inúmeras oportunidades de “fazer algo bom”, desde que estejamos interessados em “fazer algo bom”.

Caso encaremos o nosso encarne como uma situação de pagamento de dívidas, estaremos deixando de ver todos os aspectos positivos que esta nova oportunidade traz em si.

Os eventuais desafios, desconfortos, desajustes que vamos encontrar, são muitas vezes justamente as oportunidades que temos de “mudar o mundo” para melhor. Será necessário certamente superar a si próprio, dedicar-se de forma desprendida aos demais, entre outras ações de renúncia e muito trabalho. Mas o resultado tende a ser mudança de si mesmo para melhor, e um legado positivo por onde passamos. E exemplos não vão faltar. Não será difícil lembrar de pessoas que conhecemos, as quais se dedicaram a causas importantes e fizeram o mundo um pouco melhor. Ajudaram a fundar creches. Criaram programas de preservação do meio ambiente. Se dedicaram a movimentos políticos construtivos. Participaram ativamente de obras sociais como voluntários. Enfim, estamos falando de pessoas que, ao se depararem com algo que, na sua visão, não estava correto, dedicaram seu tempo para corrigir o que estava errado e deixar algo melhor do que encontraram.

Pois é para isso que reencarnamos. Para olhar para frente. Para ajudar a resolver os problemas que existem. Para aprender com quem já sabe fazer o que nós ainda não sabemos. Para somar esforços com os demais, mesmo quando existem divergências. Para deixar o lugar melhor do que quando aqui chegamos. Para sair daqui melhores do que quando reencarnamos.

É para isso que viemos para a Terra. Para fazer bem a nós mesmos e aos demais.

Compartilhe:

Sobre o Autor

Nelson José Wedderhoff

Nelson José WedderhoffEngenheiro Eletrônico; Professor Acadêmico na Faculdade Doutor Leocádio José Correia (FALEC); Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas; e Conselheiro Editorial da revista SER Espírita.

Todos os Posts de: Nelson José Wedderhoff