[kads group="topo-1"]


Quem não age não é

Quem não age não é

     A Doutrina dos Espíritos permite aos que se dedicam a estudá-la alcançar uma visão de mundo cada vez mais ampla e profunda, possibilitando a abertura de novos caminhos e compreensão das Leis que regem o Cosmos e das razões do nosso existir.
     Por se tratar de uma doutrina aberta, sem dogmas ou imposições pela força, ela permite um repensar constante de nossas convicções e se enriquece na exata medida do desenvolvimento humano. A cada nova descoberta da ciência, a cada nova conclusão da filosofia, a cada novo debate, cada nova ilação (…), o Espiritismo pode e deve ar mais alguns passos no sentido do progresso e do alcance de novos entendimentos, o que se pode perceber como uma decorrência lógica da Lei de Progresso segundo a qual tudo na natureza está em constante transformação para melhor, inclusive nós.
     Mais do que a assunção de um novo e inesgotável capo de estudos, jamais podemos perder de vista que a Doutrina dos Espíritos é também eminentemente transformacional e que essa transformação por todos pretendida só tem alguma efetividade se praticada à exaustão.
     “Quem não age não é”, nos ensinam os espíritos orientadores da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE). De nada adianta nos encastelarmos em abstrações e teorias se não formos capazes de colocá-las em prática em nosso dia-a-dia. Não há o menor sentido em nos julgarmos superiores por termos nos aprofundado um pouco mais do que a maioria em determinado segmento da verdade se com isso não formos capazes de construir mais e melhor, sempre com vistas a alcançar as lições morais magistralmente trazidas por Jesus.
     Se estamos encarnados é justamente para colocar em prática determinados conhecimentos adquiridos de forma a fomentar o bem comum e superar nossas imperfeições. Os que fogem desse sentido de ação e de promoção da pessoa humana certamente não foram capazes de alcançar o substrato da mensagem Espírita.
     Outra importante lição reiteradamente trazida pelos espíritos orientadores da SBEE é a de que “aprender é modificar comportamento”. Ora, se não formos capazes de nos colocar a campo para disseminar essa boa nova trazida pela mensagem Espírita e, mais do que isso, propor soluções concretas e úteis para as incontáveis formas de miséria humana e social com as quais nos deparamos diariamente, certamente ainda não conseguimos apreender de forma efetiva o sentido de toda a mensagem da Doutrina Espírita.
     Para que possamos fazer efetiva compreensão e prática da mensagem Espírita, são necessárias fortes doses de dedicação, paciência e perseverança. Devemos compreender os ensinamentos trazidos pelos espíritos visando sempre a sua prática e uma transformação efetiva em nosso íntimo e nossa sociedade.
     Ao nos percebermos como co-responsáveis por essa transformação e não mais como meras ovelhas em um rebanho, agiganta-se o sentido da responsabilidade que devemos ter por cada um dos nossos atos e escolhas, Não existe, entretanto, espaço para receio ou insegurança, desde que tenhamos a certeza de estarmos sempre fazendo o nosso melhor possível.
Rodrigo Fontana França

Compartilhe:

Sobre o Autor

Rodrigo Fontana França

Rodrigo Fontana FrançaAdvogado e Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) e no Centro Espírita Antonio Grimm (CEAG)

Todos os Posts de: Rodrigo Fontana França