[kads group="topo-1"]


Uma nova alvorada

Uma nova alvorada

     O início de um novo ano permite uma renovação de nosso fôlego para todo um novo leque de oportunidades e de aprendizado que se descortina. Podemos deixar de lado os equívocos e decisões erradas do passado para projetarmos um novo começo com melhor aproveitamento das oportunidades que criaremos dali por diante.
     Note-se que não se trata de renegar o passado, posto que somos sempre a síntese de nossas escolhas pretéritas, mas sim de percebermos que temos sempre uma oportunidade de recomeçar com as necessárias correções de rota e projetar um amanhã cada vez melhor.
     Essa oportunidade de fazermos um recomeçar constante sempre visando nosso melhoramento e a superação de nossas dificuldades reflete a própria dinâmica da vida, aqui compreendida sob o viés espiritual, posto que a cada nova encarnação o que temos é também exatamente uma oportunidade de reinício, de realização de novas e distintas experiências para a superação das inúmeras imperfeições que ainda temos para burilar.
     É da mais extrema importância que nos habituemos a utilizar esses dias que representam o início de um novo ciclo para projetarmos de forma séria e detida quais as atitudes que iremos adotar nos próximos meses para atingir os resultados pretendidos. Uma vez realizadas as avaliações do final do ano que se encerrou, traçar um plano de ação para alcançarmos os objetivos do próximo ano é algo primordial.
     Lamentavelmente, é comum que essas resoluções de ano novo jamais cheguem a ser colocadas em prática e muitas vezes o grande vilão para essa inércia é a preguiça, ou mesmo uma projeção mal elaborada. Se quisermos chegar a algum lugar, é preciso sabermos exatamente para onde queremos ir, e o que faremos para tanto. De nada adianta realizarmos projeções absolutamente irreais e impossíveis de serem atingidas, posto que isso evidentemente só trará frustração.
     Também é da mais extrema importância aproveitarmos esse simbolismo de um novo começar que nos é oportunizado para refletirmos sobre o que realmente vale a pena ser buscado nesse ano novo que se inicia. Será que adianta focarmos exclusivamente nos efêmeros valores materiais? Já é chegado o tempo de percebermos a importância de darmos primazia em nossas vidas à perenidade dos valores morais e espirituais, posto que são eles que seguirão conosco pela eternidade e que servem de fundação para aquilo que somos e tudo aquilo que formos capazes de alcançar.
     Talvez a melhor resolução que podemos pensar em adotar para esse ano que se inicia é exatamente essa: a de fazermos um reajuste de foco e passarmos a nos preocupar mais com aqueles valores que são perenes.
     Por certo que se trata de uma construção diuturna, que não ficará pronta em um piscar de olhos e estará constantemente se renovando. Contudo, é preciso coragem para darmos o primeiro passo dessa construção de estruturas perenes em nossas vidas.
     Gradativamente iremos nos fortalecendo no sentido da caridade, da humildade, do amor e do comprometimento com o próximo. Deixaremos de lado as preocupações mesquinhas e nos sentiremos sempre plenos e fortalecidos por termos conseguido fazer um entendimento mais harmônico e coerente de nossa existência.
     Desejamos a todos um excelente ano novo, pleno de êxitos, aprendizado e desafios a superar. Que saibamos dar valor ao que realmente importa e que possamos enxergar os ‘problemas’ como oportunidades de crescimento. Que possamos seguir sempre com coragem, paciência e determinação para alcançarmos nossos objetivos.
Rodrigo Fontana França

Compartilhe:

Sobre o Autor

Rodrigo Fontana França

Rodrigo Fontana FrançaAdvogado e Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas na Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) e no Centro Espírita Antonio Grimm (CEAG)

Todos os Posts de: Rodrigo Fontana França